Visitante do blog #148 - Isaías

Mais foto dos pés do Isaías. Uhuuu! rs
Eu sou apaixonado nesses pés. Obrigado, Isaías! <3
Beijo nos pés!


Primeira vez com amigo

Nino, aqui é o G. de Paula, perdi a senha dos meus outros e-mails e criei esse aqui só pra poder compartilhar essa minha experiencia.
A melhor experiencia que já tive com pés, não foi a minha primeira, mas foi a mais marcante. Seria uma honra pra mim ter essa historia compartilhada com a galera. Desde já agradeço a atenção, beijo nos pés!
***
Primeira vez com amigo


por G. de Paula 

Me lembro que vinha há algum tempo observando as fotos e publicações daquele garoto no Facebook, pensando em puxar assunto e começar uma amizade. Ele aparentava ser uma pessoa bacana, parecia ser um ótimo amigo, alem de ter belos pés.

Passei pouco mais de um mês, criando coragem e imaginando como puxar assunto. Não queria parecer um idiota, e ficar no vácuo era a ultima coisa que eu queria.
Até que um dia ele publicou uma foto, com vários amigos na escola, era final de ano e ele, assim como eu, estava se formando no ensino médio. Reparei que naquela foto não aparecia uma das pernas dele, e encontrei ali o meu pretexto para puxar assunto com ele.

Enviei a foto no messenger e perguntei “cara cadê sua perna?”. Ele me respondeu depois de um tempo e entrou no clima da brincadeira. A conversa foi fluindo bem, tínhamos alguns amigos em comum e frequentávamos os mesmos lugares, mesmo sem nunca termos notado a presença um do outro. 
Em pouco tempo, acho que nem chegou a uma semana, já estávamos nos falando como se nossa amizade existisse a muitos anos, e aquilo foi me dando liberdade para chegar no assunto que eu tanto queria: contar a ele sobre o meu fetiche, e dependendo da aceitação dele propor uma experiencia com os pés dele.

Certo dia criei coragem e disse a ele que precisava contar algo mas não sabia se devia, ele me disse para parar de frescura, contar logo, pois podia confiar nele. Eu sentia que realmente podia confiar naquele meu novo amigo, mas como conhecia ele apenas virtualmente, a desconfiança ainda era presente. E se ele tirasse print e publicasse? E se essa historia vazasse? Perguntas como essas rondavam minha mente, mas eu não consegui resistir. Disse a ele para esperar um pouco, que logo eu voltava e contava o que era. 
Abri as notas do celular e digitei ali um texto quilométrico, explicando desde como eu descobri o fetiche, até a maneira como eu gostava de realizar ele, tentando fazer parecer o mais natural possível, e tentando minimizar os efeitos daquela “revelação”. Enviei o texto depois de ler, reler, e fazer alterações, e ele me respondeu com vários emojis de risada, e me perguntou se eu estava falando sério. Disse que sim, e que não deveria ter contado aquilo, mas que agora era obrigado a aturar toda a zoeira em cima de mim.

Me surpreendi quando ele se mostrou “interessado” no assunto e então eu pedi pra ele uma foto de seus pés. Ele demorou um pouco a mandar, mas quando chegou ela só me confirmou o que eu já sabia, eram lindos, e ele calçava 41. 
A partir daí começou uma serie de planos sobre o dia que finalmente iríamos nos ver, e quem sabe até eu não iria curtir os pés dele?
Passou pouco mais de um mês, até que finalmente consegui dormir na casa dele. Tinha um amigo dele lá, calçado com uma botinha amarela, que me atrai bastante até hoje, e pelo que vi dele, deve ter belos pés. Demorou até que esse cara fosse embora. E então estávamos ali, só eu e meu amigo, no quarto. Os pais dele não iam até o quarto, e a porta estava fechada. Ele estava meio deitado na cama, com os pés esticados, me sentei perto deles com a desculpa de por meu celular pra carregar, já que havia uma tomada naquela ponta da cama. 
Eu já estava querendo chegar no assunto dos pés, quando ele tomou a iniciativa e colocou eles sobre o meu colo. Fiquei excitado na hora,  parei de mexer no celular, e fiquei olhando os pés dele.

— Pode acariciar  ele disse com uma carinha de safado.
— Daqui a pouco  respondi sem jeito.

Não demorei muito a começar a acariciar os pés dele. As solas eram levemente ásperas, o que passava virilidade, era melhor do que eu imaginava. Ele observava tudo com uma cara que misturava safadeza e curiosidade. Levantei um dos pés dele, e aproximei da minha boca.

— Posso?  perguntei me referindo ao ato de beijar eles.

Ele sacudiu os ombros, disse que nunca tinha passado por nada parecido, mas que eu podia ficar a vontade, ele estava gostando e queria descobrir como funcionava tudo isso. Beijei, observei o sorriso dele, era uma cara engraçada, ele realmente estava curtindo aquilo apesar de achar meio estranho a primeiro momento. Lambi a sola, perguntei se era bom, ele me respondeu que sim com um aceno de cabeça. Lambi novamente, do calcanhar até o dedão, e quando cheguei no dedão, chupei ele. Era uma delicia aquele pé, estava realmente acima do que eu esperava.
Pedi a ele para pisar em mim, ele fez sinal com a cabeça para que eu me deitasse no colchão que estava no chão. Ele se levantou, observou a cena, e foi pegar algo que estava em cima da cama dele.
Ficou com os pés próximos do meu corpo, mas sem encostar, eu levemente fui levantando um deles e colocando sobre minha barriga, mas ele colocou a ponta desse mesmo pé sobre o meu pau, e aquilo já me deixou louco. Ele pisava em mim enquanto procurava o que queria, e era como se ignorasse completamente minha presença ali no chão, me humilhando aos seus pés.

Ele voltou, ficou me observando um tempo, disse que não sabia como fazer, então eu fui guiando ele nas primeiras pisadas até que pegasse jeito. E ele se mostrou ótimo nisso.
Depois de um tempo ele sentou na cama e deixou os pés no colchão, eu fiquei ali lambendo eles, foi quando pedi a ele que me masturbasse com seu pé.

— Porque tem que ser só com o pé?
— Sei lá cara, cê quer tentar com o que?
— Com a boca, talvez

Aquela resposta me atiçou a curiosidade, demonstrei certa resistência, mas fui deixando fluir. Daí pra frente não me lembro bem como tudo foi acontecendo, só lembro que ele começou a chupar meu pau enquanto eu chupava o pé dele. Tudo aquilo parecia surreal, eu não acreditava que estava realmente acontecendo.
Chegou certo ponto em que ele chupou meu pé também, e foi muito bom sentir essa sensação. Até aquele momento só havia curtido os pés de alguns amigos, nunca havia ficado na situação oposta. 
Assim fluiu a noite toda, até que nos masturbamos ao mesmo tempo, foi diferente aquilo, mas foi bom. Me lembro que nos deitamos pra assistir um filme e ele me abraçou, até hoje não encontrei um abraço tão bom quanto o dele. Me senti tão protegido ali dentro, queria que durasse pra sempre. Meu desejo havia se realizado e havia superado todas as minhas expectativas.
No outro dia de manha fizemos alguma coisa também, mas foi muito rápido, eu precisava ir embora.
Até hoje somos amigos, e ele está entre os melhores que eu tenho. Sempre que possível a gente faz alguma coisa relacionada a podolatria, já tive outras experiências incríveis com ele, mas nada tão marcante como essa nossa primeira vez.

Visitantes do blog #147


***
Olá. Segue algumas fotos minhas, espero que goste.
Samuel

Olá Nino, tudo bem? Sou fã do blog. Me chamo Tiago e moro em Praia Grande. Amo pés masculinos.
Nino, tenho a curiosidade de te conhecer. Amo seus contos! Envio fotos dos meus pés espero que goste. Tenho 23 anos, Não gosto de pés mal cuidados, pode ter chulé porém limpinho e cuidado. Um grande beijo nos pés.

Olá Nino, meu nome é Kaike, moro em Diadema SP, tenho 20 anos e pés 41. Tudo bem? Espero que sim. Acompanho sempre seu blog e gosto muito das suas postagens. Bom, então eu resolvi enviar fotos dos meus pés para ver se você aprova e posta aí no seu blog. Um abraço e até mais! Espero que você goste dessas minhas solas!

Segue algumas fotos minhas.
Carlos Otavio

Muito obrigado! Adorei todas as fotos. Belos pés!
Desculpem a demora em postar.
Beijão!

***
Para ter suas fotos/vídeos publicados no blog, envie tudo para o e-mail
bloghomem44@gmail.com

Vídeo: Podolatria com Michael, pés 44 [Worship] [Download]