Fred, pés 46

Ontem fiquei com o Fred de novo, acho que essa foi a quinta vez.
Quando estamos juntos o tempo é quase sempre curto e o tesão que sentimos é sempre muito grande. O resultado disso é que passamos a maior parte do tempo fazendo sexo e conhecendo nossos fetiches, sobra pouco tempo para conversar.
Gosto de ficar com ele, tanto que desde a primeira vez não tive vontade de ficar com mais ninguém, mas algo incomoda.
Ele é fechado, misterioso e fala muito pouco. Tive que ser insistente e perspicaz para conseguir informações mais concretas sobre sua vida.
Eu gosto de gente que gosta de falar, sabe? Estou acostumado com isso e sou um bom ouvinte. Mas o Fred usa poucas palavras.
O bom é que ele sempre sabe o que quer, chega a ser meio autoritário, então mesmo com suas poucas palavras nos entendemos bem.

Ontem fui pela primeira vez até o seu apartamento. Cheguei atrasado, bem atrasado na verdade. E foi muito chato pois conciliamos nossas agendas antecipadamente e com cuidado, para termos mais tempo, mas acabei perdendo um tempo precioso com o transito ruim da cidade e outros imprevistos.
Fui recebido com um sorriso que não se sustentou, ele estava chateado. Eu também estava afinal o atraso não foi proposital. Pedi desculpa, tentei explicar e ele ouviu tudo atentamente, como costuma fazer sempre que estou falando. Não me disse nada, beijou minha boca e em seguida me ofereceu algo pra beber.
Fiz algum comentário sobre a sala e sobre como a vista da varanda parecia ser bonita. Ele então me levou até a varanda (que tem mesmo uma vista bonita) e depois me mostrou os outros cômodos.
Por ultimo entramos em seu quarto.  Assim que entrei estranhei a escuridão. As janelas estavam fechadas e cobertas com uma cortina que não deixava luz alguma entrar e o Fred logo fechou a porta, pela qual entramos no quarto, eliminando assim a única fonte de luz que entrava no ambiente. Puxou minha mão, me envolveu em um abraço forte e beijou a minha boca com uma sede incomum. Fechei os olhos e me deixei levar por esse beijo.

Ao abri os olhos me deparei novamente com a escuridão do quarto e me senti meio perdido, não saberia dar um passo naquele breu. Fiquei imóvel e tentei falar, mas ele não me deixou completar duas palavras. Parecia que queria me engolir com seus beijos.
Segurei sua cabeça com firmeza, como quem exige atenção, e próximo ao seu ouvido pedi que iluminasse o quarto.
Ganhei um “não” bem firme como resposta.


No escuro, enquanto me beijava, ele começou a desabotoar minha camisa. Em seguida me pediu para tirar toda a sua roupa e assim eu fiz. Tirei sua camisa, me abaixei para tirar seu sapato e suas meias, abri o zíper da sua calça e pude sentir seu pau, grande e duro. Por fim, tirei sua calça e sua cueca, tudo no escuro. Ele estava nu em minha frente e eu realmente não conseguia enxergar nada. Era estranho, mas excitante.
Ainda abaixado diante do Fred passei minhas mãos em seus pés, suas panturrilhas, coxas e subi até chegar em seu pau. Usei minhas mãos como olhos curiosos naquela escuridão e foi bem interessante.
Ele me puxou com força, me levantando, e me guiou até sua cama. Subi na cama com sapato e tudo, fui pego de surpresa.
Senti sua mão em minha perna esquerda, deslizando, seguindo até meu pé. Ele tirou meu sapato e a meia. Fez o mesmo com o outro pé.
Beijou meus pés e subiu para tirar minha calça, minha cueca e minha camisa. Assim como ele, também fiquei nu.

Sentamos na cama, um de frente para o outro, nossas pernas estavam abertas e as minhas estavam por cima das pernas do Fred.
Enquanto eu massageava seus pés, sentia suas mãos passeando pelo meu corpo, aqueles dedos longos acariciando minha bunda e minhas costas. Uma sensação boa de prazer, o toque era tudo o que tínhamos naquela escuridão.
Não resisti à excitação, fui para cima dele e nos beijamos. Rolamos devagar, com pernas entrelaçadas, corpos suando e o tesão só aumentou.
O escuro já não me incomodava mais, estávamos entregues ao prazer, um sentindo o corpo do outro.
A escuridão, que bloqueava nossa visão, aflorou outros sentidos e as sensações foram ótimas. Mas o encontro não seria marcado só por isso.

Quando menos esperei... Luz.
Estávamos deitados quando ele estendeu um braço e ligou uma luminária que estava ao lado da cama. Iluminação forte e finalmente pude conhecer, com os olhos, o quarto do Fred.
Depois de uma rápida analise no ambiente voltei meu olhar para ele, que estava me olhando atentamente e com um sorriso no canto da boca. Fiquei tímido, mas encarei seu olhar.
Acompanhei seus olhos que passaram lentamente por todo meu corpo nu. E aproveitei para observar seu corpo também. E que corpo! O Fred é um homem grande. Essa é a melhor definição para o corpo dele.  Grande de alto. É bem alto, tem um peso proporcional a sua altura, 29 anos, branco e tem tudo o que, inicialmente, chama a minha atenção em um homem: mãos grandes, pernas grandes e pés grandes (46).
Seu corpo estava bem mais suado do que eu imaginava quando estávamos no escuro. E ele logo veio pra cima de mim, me segurando como um dominador. Seu suor grudava em meu corpo e seu corpo pesava sobre o meu... Mais uma sensação boa.
Só saiu quando eu já estava com a respiração ofegante.
Ficou em pé na cama e não precisou falar nada, só olhou para mim e para os seus pés. Eu entendi o que ele queria.

O Fred adora ter alguém aos seus pés. E como vocês sabem, eu adoro ficar brincando com um pezão.
Sentei na cama e comecei beijando seus dedos. Dedos lindos. Lambi os dedões e  ele só me observava. Eu queria lamber suas solas, mas ele estava em pé, então pedi que sentasse na cama e ele concordou.
Que tesão vê-lo sentado, nu, de pau duro e com os pés ao alcance da minha boca. Pude cheirar, beijar e lamber todo seu pezão enquanto ele me olhava atentamente e se masturbava.
Chupei seus dedos e meu tesão só aumentou. E que delicia de dedão!
É impossível lembrar e não ficar completamente excitado agora.

Depois de curtir os pés do Fred transamos vigorosamente pelo quarto. Começamos na cama e seguimos rumo ao banheiro. O safado tem uma energia incrível! Em pé, na poltrona, no chão, na porta do banheiro... Até chegar ao chuveiro.

Água quente, vapor, orgasmo.
Tomamos um rápido banho. Enxuguei suas costas, seus pés e sentamos na cama. Começamos um papo. Ele com suas poucas palavras e muito mistério, eu com minha curiosidade e dedicação. Mas não tínhamos mais muito tempo. As horas voaram e eu já precisava ir embora.

Nos despedimos com um beijo e com o desejo de um novo encontro.

Nino

11 comentários:

  1. Querido Nino,
    Adorei sua história!
    Você escreve muito bem, e detalhadamente.
    Espero que você tenha grandes momentos prazerosos com esse cara.
    Deve ter um pezão delicioso!
    Meu último namorado tinha um pezão bem grande.
    Adorava esfregar meu pezinho nas solas macias e quentinhas dele!
    Um ótimo fim de semana para você!
    Sempre que for possível, post mais histórias.
    Senti muito tesão!
    Beijos nos pés!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, meu querido! Vou postar mais sim. Criei até uma guia no menu do blog para trazer só os meus relatos aos interessados.
      Esse ano me rendeu ótimas aventuras e quero compartilhar com quem me acompanha por aqui.

      Valeu pela visita!

      Excluir
  2. Que tesão, Nino! Muito bom isso. Conta mais pra gente. Abraço

    ResponderExcluir
  3. Nino.
    Você sabe causar boas sensações nos seus visitantes.
    Tesão de relato e as fotos também.
    Fico me perguntando quando terei a chance de ser o Fred hehe.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, queridão! :)
      Que bom que curtiu ler.
      Grande abraço, Dan!

      Excluir
    2. quando eu estiver por perto vc pode ser o fred hehe

      Excluir
  4. Também senti tesao, cara. Li o do Caio também e gostei muito. Vou te mandar um email.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, VH! Já vi seu email! Abraço!

      Excluir
  5. Ae galera! Sou um cara macho sem afetação e busco por um sujeito no mesmo padrão. Trampo com ração animal e lido diretamente em propriedades rurais e isso me faz ser usuário de botas e botinas no dia a dia. Uso as mesmas meias semana toda, pois, sou um adorador do meu próprio chulezão. Adoraria encontrar um que
    curtisse os mesmos lances. seria tesão absoluto curtirmos uma chulezada no final do dia... um tirando as botas do outro... as meias e cheirando e lambendo as patas. Se o cara gostar... curto cheirar e chupar um rabo suado com pêlos... mamar e ser mamado.. beijar..foder... mas to fora de afetados, discretos e depilados. Teclo de Franca int-sp.

    ResponderExcluir
  6. kra_manero28@hotmail.com

    ResponderExcluir